constelação familiar (33) frustração (28) Bert Hellinger (21) alegria (21) amor (18) família (18) constelação (14) doença (13) casamento (11) dinheiro (9) felicidade (9) relacionamento (9) confusão (8) depressão (8) problemas (8) separação (8) tristeza (8) consequência (6) depressão masculina (6) filhos (6) morte (6) desgaste (5) desordem (5) dor (5) familiar (5) gravidez (5) sucesso (5) casal (4) crianças (4) sistemica (4) trabalho (4) alzheimer (3) amor fraternal (3) carência (3) crise (3) dificuldade (3) dificuldades na leitura fala e aprendizado (3) equilíbrio (3) excesso (3) fidelidade (3) fome (3) medicina (3) mudança (3) mulher (3) mãe (3) riqueza (3) sintomas (3) solidão (3) traumas (3) abandono (2) adolescente (2) alcoolismo (2) assassinato (2) autoconhecimento (2) cancer (2) constatação (2) cuidado (2) emprego (2) espirros (2) estresse (2) exame (2) gasto (2) mentira (2) mioma (2) monstros (2) médico (2) pais (2) perdão (2) profissão (2) saúde (2) sobrevivência (2) suicídio (2) tosse (2) 10 cartórios (1) Joel Aleixo (1) acidente (1) alcoólatra (1) apetite insaciável (1) barriga (1) bebê (1) beleza (1) bullying (1) cabelo (1) cabeça (1) cansaço (1) certidão (1) chapinha (1) cidadania (1) crime (1) cromossomo (1) cão (1) dengue (1) descobertas (1) descontrole (1) descuido (1) desemprego (1) detran (1) dia-a-dia (1) diarréia (1) dor nas costas (1) dúvida (1) empresa (1) esterelidade masculina (1) estética (1) exercício (1) florais (1) gato (1) gripe suína (1) guerra (1) habilitação (1) homem (1) idoso (1) independência (1) irmãos (1) irmãs (1) juventude (1) klinefelter (1) livro (1) mal estar (1) mamografia (1) mosquito (1) mãe solteira (1) namoro (1) noivado (1) novidade (1) odiar os homens (1) paciente (1) poder judiciário (1) poupatempo (1) progressiva (1) pênis (1) remédio (1) representante (1) segredo (1) seios (1) síndrome (1) tarot (1) teimosia (1) teste (1) tragédia (1) traição (1) vacina (1) verme (1) violência (1) visual (1) água (1) ética (1) útero (1)

Síndrome do pânico e o medo de ficar longe de casa

Numa constelação a cliente colocou como questão o pânico que vem sentindo há muitos anos. Ela tem medo de sair de casa, então sai apenas acompanhada da mãe, do marido ou da irmã. Seu maior medo é ficar muito longe de casa, então procura fazer tudo perto de sua moradia. E admite que muitas vezes fica com medo de sentir o pânico - medo do medo, um trauma muito comum. Toma medicamentos desde os treze anos (aparenta ter menos de trinta). Ela está acompanhada, no evento, pela mãe.

Foi colocada na constelação uma representante para a Mulher e outra para o Medo. Ambas ficam frente a frente, mas a Mulher permanece o tempo todo com os olhos fechados. O Medo se aproxima dela e fica bem perto, e se desloca ficando atrás da Mulher, colocando as mãos nos ombros desta. Eu entro na constelação e logo vou brincar de assustar a Mulher, como uma criança. A Mulher ri (mas permanece de olhos fechados), e dá alguns passos sem direção. Ela pega nas mãos do Medo, por sobre os ombros. Aos poucos começa a querer me chutar, como se quisesse me afastar. O riso vai se tornando mais nervoso, quase um choro, acompanhado de tentativas de chutes. E eu sigo rindo e achando graça, como uma criança brincando.

Logo entram mais pessoas na constelação, mas o movimento central permanece com a Mulher, o Medo e eu, que me sento e sorrio para ambas. À Mulher é pedido que abra seus olhos e olhe para o Medo, que nesta altura está à sua frente. São pedidas algumas falas de reconhecimento da Mulher com relação ao Medo. O Medo olha para mim, e estende a mão fazendo carinho na minha cabeça. Me aproximo mais das pernas do Medo, ficando bem grudada nela. Represento uma criança morta.

Neste momento a mãe da cliente, que está presente, conta que a família do pai fugiu da guerra no Japão, vindo para o Brasil, e que a avó da cliente (mãe do pai) sofreu muito aqui no Brasil pela dificuldade da língua e costumes. O Medo representava esta avó, que durante a vida aqui no Brasil lutou para conseguir voltar, mas não conseguiu. O medo da cliente, o pânico estava vinculado ao medo dessa avó de nunca mais voltar “para casa”! As outras pessoas que entraram na constelação permaneciam distante deste núcleo, e representavam possivelmente os familiares dessa avó que permaneceram no Japão. Eu possivelmente representava uma criança que não sobreviveu à esta mudança.

Foram ditas falas de cura e reconhecimento, e sugerido à cliente que ela fosse ao Japão, “resgatar” esse retorno. Ela sorriu e se sentiu muito feliz ao final do trabalho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
COMENTÁRIOS ENVIADOS AO MEU E-MAIL COMO "ANÔNIMO" NÃO PODEM SER RESPONDIDOS (o sistema não identifica você, então como vou responder?)

Se você quiser uma resposta rápida, pessoal e direta, mande para curapessoal@gmail.com, e não se esqueça de colocar o seu e-mail para que eu possa responder.

POSTAGENS QUE CONTEREM NOMES DE MEDICAMENTOS SERÃO DESCARTADAS (para não conduzirem à automedicação) OU EDITADAS.

Postagens que eu considerar inapropriadas por conter nomes que comprometam terceiros serão descartadas.